Diamante investe em iniciativas e se torna carbono neutro

Diamante investe em iniciativas e se torna carbono neutro

Para Caio Cantú, diretor da empresa de transportes, olhar para os princípios ESG significa garantir uma atuação de excelência no futuro

Postado por Diamante
Categoria:

A sustentabilidade já deixou de ser um diferencial e se tornou realidade não somente no modus operandi da sociedade, mas também no mundo dos negócios. Se tornou um fator decisivo para empresas conseguirem se manter atuantes, adequadas às exigências do mercado. E no setor de transportes, essa realidade não é diferente.

Segundo Caio Cantú, diretor da Diamante, a sustentabilidade se tornou um fator decisivo para que as transportadoras consigam se adequar à realidade dos grandes clientes, que possuem estratégias globais focadas nos pilares da sustentabilidade, que nos últimos tempos evoluiu para o ESG (Ambiental, Social e Governança, em português).

Mas não adianta somente se adequar aos clientes, é preciso abraçar essas práticas dentro das operações de transporte, enfatiza Cantú, principalmente para aquelas companhias que buscam crescimento em um mercado cada vez mais concorrido.

Atualmente, fala-se muito sobre novas fontes de energia para reduzir os impactos do transporte no meio ambiente, como a troca do diesel por outros combustíveis menos poluentes, incluindo o GNV, o biometano ou eletricidade.
No entanto, na visão do diretor da Diamante, uma mudança nesse sentido não acontece do dia para a noite. “A troca da matriz energética é um processo lento, demorado e custoso. Além disso, os equipamentos hoje disponíveis no mercado brasileiro ainda são caros, o que, para a grande maioria das operações acaba inviabilizando o investimento”, analisa.

No entanto, há possibilidades para o mercado de transporte adotar ações que buscam minimizar ou pelo menos neutralizar a emissão de gases de efeito de estufa para a atmosfera – hoje o mercado disponibiliza várias alternativas para isso. Mas os desafios ainda são grandes, de acordo com o executivo da Diamante.

“Ainda precisamos de uma regulamentação mais efetiva, além da ampliação e acesso às tecnologias que visam entregar melhores resultados em termos de eficiência energética. E sem esquecer da importância da consciência sobre o tema por parte das empresas e pessoas em geral”, enfatiza.

Dentro de casa

Na Diamante, a preocupação com o impacto de suas atividades no meio ambiente já faz parte da estratégia da companhia há alguns anos. Entre as iniciativas estão o projeto Despoluir, na qual a empresa participa, juntamente com entidades do setor de Transporte, da iniciativa que visa fazer aferições constantes nos níveis de fumaça emitidos pelos caminhões. “Isso garante que estejamos sempre dentro dos padrões exigidos e permitidos mundialmente”, aponta.

A correta destinação de resíduos – óleos e lubrificantes – é outra ação adotada pela Diamante, incluindo os pneus de seus caminhões. “A correta destinação de resíduos faz com que o impacto seja zero na geração de lixo. Muitas empresas ainda fazem esse descarte de forma incorreta, indo parar na natureza. O mesmo serve para os pneus, que, dependendo do estado ainda podem ser reaproveitados”, destaca.

Uma das estratégias adotadas pela Diamante é investir na renovação de sua frota de veículos a cada dois anos. Atualmente, a transportadora conta com uma frota de caminhões com idade média de menos de dois anos. Para Cantú, a questão da manutenção não é apenas o único benefício, mas também o acesso a veículos pesados com tecnologias mais avançadas em termos de eficiência no uso de combustível e na redução dos poluentes.

Atualmente, a tecnologia Euro 5 está presente em 100% da nossa frota. Essa nova categoria tecnológica proporciona uma enorme redução nos níveis de poluentes jogados na atmosfera pelos motores dos caminhões”, afirma Cantú.

Projeto Carbono Zero

Uma das metas mais ousadas da Diamante está alinhada com o movimento do mundo de se tornar carbono zero. “Nós decidimos dar um passo ousado frente ao desafio de tornar nossa operação sustentável e atender as melhores práticas que visam a redução das emissões de CO2 na atmosfera.

Para alcançar esse objetivo, a empresa está com um projeto em andamento pelo terceiro ano consecutivo e mirando a neutralização dos poluentes jogados na atmosfera por suas operações. O projeto consiste em executar alguns passos para levantar a quantidade de gases e após fazer sua compensação, são eles: 1) fazer o levantamento semestral do consumo de combustível da frota; 2) calcular a quantidade de CO2 jogado na atmosfera por meio de metodologias internacionalmente certificadas; suporte/assessoria de uma empresa de certificação ambiental; e a aquisição de créditos para fazer a neutralização das emissões.

“A última etapa é o recebimento do certificado com o número de registro da aposentadoria desses créditos, certificando-se de que todo o montante dos gases emitidos foi devidamente compensados e neutralizados”, complementa Cantú.

Atualmente, a Diamante está na fase final de compensação das emissões do segundo semestre de 2021. “Com isso, teremos os anos de 2020 e 2021 totalmente neutralizados. Ou seja, há dois anos, temos uma operação 100% carbono neutro”, orgulha-se o diretor.

ESG na Diamante em 2022

Um dos planos da transportadora é adequar sua atuação cada vez mais aos princípios ESG. Após evoluir a parte ambiental, Cantú diz que para 2022 a empresa irá trabalhar o lado social e de governança.

“Se cada um de nós e cada empresa fizer um pequeno esforço para tornar o nosso consumo mais consciente e as atividades comerciais mais sustentáveis, certamente teremos escolhido o caminho certo a ser percorrido, contribuindo para um mundo melhor”, conclui.

10 Indicadores de Desempenho em Logística