Nossa História - Diamante

Estruturar para crescer

Ney Cantú, CEO da empresa, fala sobre o novo capítulo da história escrita pela Transportes Diamante no mercado brasileiro

Posted by Diamante
Category:

O ano de 2018 foi um marco importante para a Transportes Diamante. A empresa tornou-se a fusão das duas empresas do grupo – Diamante e Dialog – unificando suas expertises em uma única marca. O objetivo, segundo Nei Cantú, CEO da empresa, o intuito foi ganhar competitividade e oferecer a melhor solução para seus clientes.

A partir dessa decisão, grandes mudanças ocorreram na empresa. Suas estruturas foram unificadas, vários investimentos em tecnologia estão sendo feitos desde a união e as expectativas sobre o que esperar desse novo caminho também foram revistas. Segundo o CEO, a empresa deve fechar 2019 com um crescimento de 50%, uma estimativa que mostra que a Transportes Diamante não brinca em serviço quando o assunto são as operações logísticas.

O DNA da inovação nos acompanha desde a fundação da Diamante, há 48 anos, no mercado brasileiro.

Entrevista com Ney Cantú, CEO da Diamante:

Qual é o balanço que o senhor faz sobre os primeiros meses de fusão entre a Dialog e a Diamante?
Ney Cantú – Acredito que foi um período muito positivo para a nova empresa. Apostamos em ações de marketing interno, em um primeiro momento, para comunicar aos nossos colaboradores sobre a novidade. E eles reagiram de forma incrível, com uma aceitação esplêndida, criando uma atmosfera de confiança e otimismo sobre o que virá daqui para frente.

O que essa fusão trouxe para a marca Diamante no mercado brasileiro de transportes de carga?
Ney Cantú – A fusão entre as duas empresas trouxe musculatura em relação ao mercado. Potencializamos a imagem de credibilidade que já tínhamos perante aos nossos clientes. Somos vistos como uma empresa forte e que transmite valores como confiança, segurança e inovação.

Qual é a estratégia de negócios do grupo a partir dessa fusão?
Ney Cantú – Almejamos dar vários passos importantes, dentre eles intensificar a comercialização de nossos serviços em setores que necessitam maior expertise logística, agregando valor no negócio.

Como o senhor avalia a contribuição do grupo para a evolução do transporte brasileiro de cargas?
Ney Cantú – O DNA da inovação nos acompanha desde a fundação da Diamante, há 48 anos, no mercado brasileiro. A tecnologia e qualidade também sempre nos acompanharam e foram pontos importantes das mudanças que vivemos ao de quase cinco décadas. Nossas ações influenciaram em novas tendências adotadas pelo mercado de transportes de carga no Brasil.

Como estão os trabalhos da Diamante no que diz respeito a expansão das atividades da empresa para a América do Sul?
Ney Cantú – O projeto de avançar nossas operações para o Mercosul é uma realidade na estratégia da empresa. Pretendemos iniciar as operações por lá em 2020, pois é preciso colocar em prática algumas ações, que passam desde o desenvolvimento de equipamentos mais produtivos aos trâmites de infraestrutura nas aduanas.

Quais são as frentes de inovação que vem sendo trabalhadas pelo grupo em 2019?
Ney Cantú – Tecnologia e modernização. Esse é o nosso foco para 2019, com a implantação de modernos TMS e WMS, tecnologia embarcada nos veículos e equipamentos, com o intuito de fazer a gestão em tempo real. Além disso, estamos trabalhando na modernização da empresa, do visual e estrutura das instalações da empresa.

Qual é a expectativa de crescimento do grupo para 2019? O que esperar do mercado para esse ano?
Ney Cantú – Nossas estimativas são muito otimistas. Pretendemos fechar o ano com um crescimento de 50%. Estamos otimistas com o cenário atual e o que está se desenhando para os próximos meses.